Tradutor

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

Cadastre-se e receba em seu email as postagens

Pesquisar este blog

Seguidores

Welcome ao Pequinês Curitibano.

Histórias de uma Matilha Urbana. Participe!

Facebook

Quem sou eu

Total de visualizações de página

Top Blog

Pequinês Social Club

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Passeio liderado da matilha



Após reflexões sobre a liderança da minha matilha resolvi por em prática o lado operacional desta história.

Vamos aos principais problemas:

O Ramon com seu xixi descolador de pisos laminados, seus latidos sem razão e a destruição dos meus móveis comprados este ano;
 E o Dodi com sua liderança irritante em nossos passeios.


Em primeiro lugar tenha em mente que seu cachorro não esta ligado ao  passado muito menos ao futuro, pois para ele só existe o PRESENTE. O que eu quero dizer com isso é que não precisa inventar dramas do passado. Ex.: Peguei meu cão em adoção, ele sofria muito, passou por maus tratos,  e carrega muitos traumas. (bobagem - e, cá pra nós,  às vezes são mentiras que idealizamos para nos sentirmos melhores e criando um certo ar que somos super heróis a defesa dos cachorro indefesos perdidos pelo mundo)

Outra observação libertadora: “Ele não guarda mágoas!”
Ex.:Não vou dizer um não convincente e incisivo (energia desequilibradas) por ele ter feito algo errado, pois já chamei a atenção dele a 10 min. atrás pelo mesmo motivo.

Então vamos ao Dodi.

Como já mencionei o Dodi sai sempre na frente dando a direção do caminho a ser seguido.
Percebi que a guia retrátil que estou usando não é a mais apropriada. Criei uma falsa ilusão de que com ela ele teria uma liberdade maior no caminho.


Este foi meu erro, pois ele fica sem direção e pode cheirar o que quiser e quando quiser. Inviabilizando qualquer rota de passeio.

O problema aumenta quando saio com os dois. Acaba virando um nó com  três pontas sem direção nenhuma.

Hoje usei as guias antigas, que possuem uns 60 cm. O Dodi se manteve ao meu lado, ficando muito mais fácil dar a direção.

Agora escolho aonde vamos, a velocidade e, principalmente, a hora que eles ficaram livres para cheirarem o que quiserem.

Quando solto os dois ocorre o outro problema do Dodi. Ele não fica do meu lado sai passear esperando que eu o siga. Graças a Deus o Ramon me acompanha.

A questão que tenho de melhorar é a energia certa de comando. Fico com inveja de alguns moradores de rua que vejo, eles controlam seus cães sem coleira nenhuma. Só com a voz. Os viralatinhas não atravessam a rua sem a ordem do dono. Acho incrível este domínio.

Mas acho que estou no caminho certo.

2 comentários:

  1. Oi!Passando pra dizer que, provavelmente, no final de janeiro/11, irei a Curitiba. Parte da minha família também mora aí.Se isso ocorrer, quero conhecê-los, claro.

    ResponderExcluir
  2. Vamos combinar sim. Quando chegar avise.

    ResponderExcluir