Tradutor

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

Cadastre-se e receba em seu email as postagens

Pesquisar este blog

Seguidores

Welcome ao Pequinês Curitibano.

Histórias de uma Matilha Urbana. Participe!

Facebook

Quem sou eu

Total de visualizações de página

Top Blog

Pequinês Social Club

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Amigos e inimigos


Um animal insere  seu dono em novos circuitos sociais. Começamos a ver certos lugares de nosso cotidiano de formas bem diferentes. O ponto de encontro dos cachorreiros são as Praças. Cada uma delas é freqüentada por pessoas muito interessantes.

Praça Rui Barbosa.

 Sou criticado pelos meus amigos por freqüentar tanto este local, todos acham que é perigoso. Tenho certeza que o Dodi gosta dela. Pois ela tem várias ilhas de gramado que  devem ser um paraíso para o seu nariz curioso. Cada ilha um cheiro, uma história olfativa.

Nela vejo Curitiba acordar através dos ônibus lotados de trabalhadores e alimentam o centro da cidade. Cada um com seu “armagedon pessoal”.

Lá conheci a Dona Julia. Uma senhora muito simpática que leva a sua Poodle  que tomou remédios para curar uma séria queimadura que teve em um Pet carniceiro. Diz a Senhora que a Fifi quando voltou deste lugar dormia ao lado da geladeira para tentar amenizar a dor.

Tem um super jovem senhor muito simpático que possui 3 Cokers. Parece que o trio é o Avô, a Mãe e o Netinho. Morro de inveja dele, pois ele controla os 3 sem coleira na Praça. Parecem um furacão, chegam e saem muito rápido.


Também tem uma moça que possui um Coker. O cão tem até plano de saúde, pois por incrível que pareça ele tem epilepsia e por isso toma gardenal . Vive no médico. O cachorro parece meio distante mesmo.

E por fim o INIMIGO do Dodi! Um maltes branquinho que parece uma bola de algodão. Mas por traz daquela aparência angelical  esconde-se  um pequeno demônio. Dizem que o cachorro é a cara do dono. Então imagine a dona!! Uma senhorinha magrinha, de cabelos negros.  Se ela fosse um cachorro seria um  Pinscher. Caso  eu resolvesse  adivinhar a profissão dela diria que é funcionaria pública federal aposentada . Pois bem, o fato foi o seguinte:

Estava eu com o Dodi pela praça quando ele viu o pequeno anjo disfarçado. Na minha ingenuidade me aproximei da dupla.

Perguntei a senhora: È bravo?

A Diretora aposentada, fumando seu cigarro matinal, respondeu: Não, ele é tranqüilo.

O pequeno Dodi se aproxima balançando o seu rabinho. O lindo anjinho fez o mesmo. Parecia que eles se tornariam grandes amigos.

Pareciaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa...

Até que aquele pequeno animal virou praticamente um lobo selvagem. Mordeu o Dodi. Puxei rapidamente o cachorro pra o meu colo. O coração do Dodi estava disparado. Pois foi a primeira vez que isto aconteceu.

A diretora aposentada de Colégio público do subúrbio, depois de uma boa tragada olhou pra mim e disse rindo entre a fumaça que saia junto com suas palavras:

Eu menti! Ele é Bravo!


Prefiro não tecer mais nenhum comentário a respeito desta dupla.

 


Um comentário:

  1. Oi, Dodi, parabéns pelo blog e pelo sucesso, você é muito lindo! Votei em você pela internet. Sou do Recife e como me interesso e gosto muito de pequineses, vi seu vídeo e votei. Tenho uma cadelinha, a Madah, que é mestiça com pequinês e fiz um blog para acompanhar o desenvolvmento dela e falar sobre a raça Pequinês. A ideia é divulgar mais essa maravilhosa raça (que já teve muito mais exemplares que hoje, aqui no Recife), mesmo que Madah não legítima. Claro, que o amor por ela é grande e todos nós gostamos muito de tudo o que ela representa. Na próxima semana vai chegar uma filhote de Pequinês para morar com a gente. Desta vez, 100% da raça. Se você quiser também acompanhar madah e breve, a filhote de pequinês (ainda não a chamamos pelo nome), acompanhe o blog www.peqmadah.blogspot.com

    Abraço, Janete.

    ResponderExcluir