Tradutor

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

Cadastre-se e receba em seu email as postagens

Pesquisar este blog

Seguidores

Welcome ao Pequinês Curitibano.

Histórias de uma Matilha Urbana. Participe!

Facebook

Quem sou eu

Total de visualizações de página

Top Blog

Pequinês Social Club

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Cocô


Comprei uma coleira em um pet perto de casa para levar o Dodi passear. Comecei levando na Praça Rui Barbosa. 
A primeira vez que ele chegou lá ficou estático. Acho que nunca tinha visto tanto movimento. Mas foi ali que ele fez o primeiro cocô fora de casa.

O Dodi fez apenas dois cocôs em casa, o primeiro foi o que eu narrei em outro capitulo, o segundo foi engraçado.
Todos os dias quando levanto tenho a minha rotina. Como, acredito eu, a maioria das pessoas.Só que na visão do meu cachorro era dividida em 3 etapas: Levanto, ligo a cafeteira, vou ao banheiro e tomo café. Só após esta sequência levo o Dodi para passear para ele fazer suas necessidades. Surpresa eu tive quando em uma manhã qualquer levantei, fui ao banheiro, tomei café e FUI TOMAR BANHO. Foi nesse momento que o Dodi começou a mostrar sua personalidade. Pois ai sair do meu banho quente percebi que ele tinha feito um belo serviço em meu quanto com requintes de crueldades. Ele havia feito muito cocô, em vários montinhos separados. Um em cada canto do quarto. O pior que ele me olhava com uma cara que era auto explicativa. Lia-se: “ Você foi tomar banho antes do meu coco”
Não consegui brigar com ele, até ri do pequeno. Mas comecei a perceber que teria de mudar minha postura. Claro que não deixaria que ele mandasse nos meus horários. Percebi que quando eu terminava meu café passava a ele uma ansiedade de que logo sairia com ele. Acho que cachorro sente nossa energia.
Comecei a mudar minha postura em relação às manhãs. Deixando claro que nós sairíamos, mas não na mesma sequência de sempre. Louco isto, mas funcionou. Nunca teve mais coco em casa
Pena que não posso dizer o mesmo do xixi,  pois ai foram muitas vezes. Onde ele sempre caprichou em todos os cantos da casa. Principalmente em meu tapete da sala. Foi ai que fiquei amigo da dona da lavanderia.
Primeiro prejuízo de R$ 70,00.
Cheguei em casa com o tapete cheiroso da  lavanderia, estendi o tapete na sala. Fui até a cozinha. Voltei e vi que em questões de segundos havia outra mancha de R$ 70,00.
Dodiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!
È lógico que não levei novamente o tapete na lavanderia. Resolvi lavar em casa mesmo. Até que foi fácil. O problema veio depois. O tempo de Curitiba voltou contra mim. Uma semana de chuva. O tapete ficou tão fedido que fiquei com medo que alguém achasse que eu estava mantendo um cadáver em casa.  Tive que pagar mais R$ 70,00 na lavanderia.
Fui ao supermercado e comprei um produto para espirrar em lugares que ele não poderia fazer xixi. Paguei R$30,00.
Resultado R$30,00 + R$70,00 = R$ 100,00. Obviamente sem contar os Danos Morais.
Percebi que não adiantava brigar com ele. È uma necessidade fisiologia algo que nem um ser controla.
Resolvi de maneira simples. Levo ele passear no mínimo 2 vezes ao dia. Nunca mais fez xixi em casa.
Quem não deve ter gostado disto foi a dona da lavanderia...
Paciência ela nem era tão bonita rsrs!

Um comentário: